Assim sou EU....

A menina de olhos castanhos, do cabelo comprido, do sorriso sincero, da risada esquisita, dos sonhos impossíveis, da esperança interminável, de insegurança constante, dos amigos perfeitos, do coração enorme.
Aquela que se apaixona, que se esquece dos erros, que se envergonha de tudo, que se sente sozinha, e que nunca desiste. A menina que precisa ser protegida, que chora por tudo, que morre de medo, que ama a vida, que se desespera, que aproveita cada segundo, que é romântica, que fica feliz com um abraço, que sonha demais, que pensa demais, que complica demais e que deseja apenas ser feliz!

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

O amor...

Tão difícil depositar no outro nossas expectativas de felicidade. 
Tão incerto, porque seu coração nos é desconhecido, mesmo que tente nos revelar suas verdades a cada manhã que nasce.
Tão difícil esperar. O amor é tão impaciente quando se trata da saudade. Mais imperdoável ainda quando se diz respeito à distâncias muito longas.
Como suportar prolongadas ausências, constantes separações, idas e vindas? O amor vai se desgastando, e pouco a pouco perderá seu brilho, encanto, prazer e satisfação. Mais e mais reinará a mágoa e a incompreensão. Talvez neste momento o fim começa a ser prescrito.
Se já é difícil manter uma relação a dois com amor, tão mais difícil será na sua ausência.
Amar exige sabedoria. Amar exige tempo livre. Amar exige dedicação de ambas as partes.
Um amor a dois é sublime, um amor solitário chama-se egoísmo. Um amor ao outro é sentimento derivado de muitos outros como a admiração, a ternura, a idealização, o reconhecimento, o carinho, a atração, mas um amor excessivo assim, somente a si próprio, torna-se narcisismo.
Amar permite imperfeições no outro. Não amar, as torna justificativas para os problemas do dia-a-dia. Amar permite doação, quem não ama quer exigir tudo para si.
Amar é deixar o "nós" gritar no coração mais forte do que o "eu". Importa mais a felicidade alheia do que a própria.
E como recompensas de quem sabe amar, surgem tesouros de valores inestimáveis: beijos envolventes, abraços ternos ou calorosos, carícias, aconchegos, mimos, sensações de prazer, tentação, satisfação, encanto, apaixonamento, felicidade, tornando o amor tão necessário como um sopro de ar a inflar os pulmões e dar a vida ao nosso corpo, manter acesa a chama de nossa existência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário