Assim sou EU....

A menina de olhos castanhos, do cabelo comprido, do sorriso sincero, da risada esquisita, dos sonhos impossíveis, da esperança interminável, de insegurança constante, dos amigos perfeitos, do coração enorme.
Aquela que se apaixona, que se esquece dos erros, que se envergonha de tudo, que se sente sozinha, e que nunca desiste. A menina que precisa ser protegida, que chora por tudo, que morre de medo, que ama a vida, que se desespera, que aproveita cada segundo, que é romântica, que fica feliz com um abraço, que sonha demais, que pensa demais, que complica demais e que deseja apenas ser feliz!

sexta-feira, 23 de março de 2012

Frustrações avessas

Deixou aquela sala insone, despediu-se de todos sem dizer nenhuma palavra. 
Olhou pela última vez o lugar onde sentara em um ano. sofria de um mal inexplicável, o desapego a pessoas, lugares e coisas.
Tudo que levasse muito tempo a enjoava, pensou em desistir da faculdade - resolveu então mudar de turma para ter novamente o que conquistar. Ela conquistou e largou para continuar amando.
No início experimentava o encantamento, mas não conseguia manter o entusiasmo. Espírito aventureiro era esse que tinha... a dominava e libertava...
Queria escrever um livro mas o segundo capítulo lhe fugia.
Queria aprender outra língua mas pensava em filosofia, afinal por que maçã e apple são tão diferentes se tem a mesma forma?
Cansava dos gostos e das imagens repetidas...
Odiava missa porque tinha que se levantar e sentar inúmeras vezes
Queria contestar o sermão do padre e tinha idéias sacanas todas as vezes que via um altar. Decididamente ela não se apegaria a nenhuma religião.
Gostava de se enganar com relação ao tempo, seu relógio era adiantado em uma hora, vivia no horário de verão. Economizava esse tempo para si. Era ansiosa, sentia angústia...Tinha pouca paciência com os imbecis e mulheres burras, sim existem várias (que ódio!) era grossa quando queria e extremamente amável quando lhe convinha.
Gostava do vento, da forma que ele se espalhava e era ágil. Abraçava-o e tentava agarrá-lo para si...(era dada a amores impossíveis).
Dessa forma apaixonou-se por um andarilho e ele estava longe... sempre longe... e ela pedia ao vento para tocá-lo, beijá-lo...
Ela pensava demais, pensava demais, pensava...
Desistiu de desistir e sentou-se novamente na frente do computador para terminar essa história sem fim.
...

Nenhum comentário:

Postar um comentário