Assim sou EU....

A menina de olhos castanhos, do cabelo comprido, do sorriso sincero, da risada esquisita, dos sonhos impossíveis, da esperança interminável, de insegurança constante, dos amigos perfeitos, do coração enorme.
Aquela que se apaixona, que se esquece dos erros, que se envergonha de tudo, que se sente sozinha, e que nunca desiste. A menina que precisa ser protegida, que chora por tudo, que morre de medo, que ama a vida, que se desespera, que aproveita cada segundo, que é romântica, que fica feliz com um abraço, que sonha demais, que pensa demais, que complica demais e que deseja apenas ser feliz!

sexta-feira, 23 de março de 2012

Espantando o tédio

Já vi uma frase que dizia que “Ser só é não ter que fechar a porta do banheiro”. Não lembro a autoria, mas gosto dessa frase. Na letra de: “Preciso dizer que te amo” de Cazuza, ele e Bebel Gilberto cantam assim no final: “Fechando e abrindo a geladeira a noite inteira...”, quando se está só e com insônia as duas frases são bem reais. Já nos livros, as personagens solitárias sempre possuem gatos, as escritoras também, o que me faz pensar que de uma forma ou de outra sempre copiamos a realidade.
Já a frase “Só em meio à multidão”, soa brega, mas também reflete um momento que o ser-só-um se torna angustiante e insuportável, quando já não te basta a tí mesmo.
Palavras como saudade, nostalgia e silêncio são soberanas – não mais que a tristeza, é quase-lógico! Na verdade todo mundo se torna sozinho no momento que nasce, as emoções sejam elas boas ou más são somente tuas. Ir acompanhado ao cinema é legal, ter alguém lhe agarrando quando o Sean Pean aparece numa cena é uó.
Para mim solidão é escrever no blog em pleno sábado, falar de gatos que não tenho e ficar lembrando de coisas que espantam meu tédio. Pelo menos eu sou produtiva! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário