Assim sou EU....

A menina de olhos castanhos, do cabelo comprido, do sorriso sincero, da risada esquisita, dos sonhos impossíveis, da esperança interminável, de insegurança constante, dos amigos perfeitos, do coração enorme.
Aquela que se apaixona, que se esquece dos erros, que se envergonha de tudo, que se sente sozinha, e que nunca desiste. A menina que precisa ser protegida, que chora por tudo, que morre de medo, que ama a vida, que se desespera, que aproveita cada segundo, que é romântica, que fica feliz com um abraço, que sonha demais, que pensa demais, que complica demais e que deseja apenas ser feliz!

terça-feira, 4 de outubro de 2011




-        -        -         -        -         -         -         -

A questão é a seguinte, não se fazem mais coisas como antigamente, não se vive mais uma vida como nos tempos da terceira idade. O mundo veio e vem sofrendo impactos e transformações conforme a forma viver de cada cidadão se modifica. É claro que só um não faz a diferença, pois, como pode um vagalume substituir o papel da lua? É como aquele famoso ditado: "Uma andorinha só não faz verão". Porém, quando se fala que a diferença começa em nós, não significa dizer que nós conseguiremos mudar o mundo. Mas, significa que a mudança têm que começar em algum lugar. Ela não é de fora para dentro, mas de dentro para fora. Quando deixamos de ser expectadores e passamos a ser agentes, que trabalham para um determinado fim, deixamos de ser homens e passamos a ser cidadãos. Ser cidadão não é algo que rege uma constituição, mas é algo que fica impregnado dentro de cada ser humano que nasce dentro de uma sociedade. É algo que é desenvolvido e trabalhado com o tempo. É algo que é moldado e classificado para habitar e agir em determinadas situações. Então, o simples fato de eu ser uma blogueira e através do meu Blog aderir essa campanha e compartilhar com  os meus leitores o conteúdo deste, já reflete uma atitude de cidadã, que se importa com o futuro do seu país e do mundo. Imaginar um mundo melhor ou viver de ilusões é a mesma coisa que esquecer que um dia a gente vai morrer. Não tomem as minhas palavras por pessimismo, pois por mais que eu tenha um compromisso com a minha cidadania, eu também tenho um compromisso com a minha sanidade. Ainda se falam em histórias em quadrinhos, branca de neve e papai noel. Mas, esqueceram-se de falar sobre a realidade, a verdade e o compromisso com o futuro. Cada passo que o homem dá se torna inseguro, cada passo que ele dá marca um terreno alheio que nunca foi seu. Esqueceram-se de falar que tudo é finito e que nada dura para sempre. Esqueceram-se de falar, que se o mundo morre nós também morremos. Vai-se a natureza, o sol, a lua e o tempo, mas, com ele também vai o homem, suas invenções e as mentiras...

Nenhum comentário:

Postar um comentário